segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Outra Lua



Não gaste o que poupa no resto da noite.
Arranja espaço suficiente e guarde os cascalhos de teu gostar.
Pequena Criança, espera tua vez, no amor encontrará luz própria...Aquieta a ansiedade, se existem os que te machucam, também existirá quem te cure. Busca novos portos , guardando teu coração usado e reutilizando tuas lágrimas onde possam morar sozinhas. Ah, Querida Pequena, leva-te ao teu centro e cansas tua teimosia: espera tua hora sossegada, o amor já a fez apressar, agora te senta no colo da piedade e destroe os laços que inda insistem a te levar pro passado. Acalma teus passos ligeiros e liberta esse riso tristonho...Soberana sobre teus poderes, escolhe o lado do oposto onde tua verdade é mais fácil que teu pranto. Dorme  singela em teus encantos, descortinando toda a mancha do que é ilícito em teu pulsar, sendo certeza que passa ou dúvida permanente.Afaga o brilho em teu céu, colore tua alma na cor da vida, assim como quadro que é sólido nos pesares que a  dor ainda te permite sentir. Os medos ainda estarão lá Criança...Mas cabe a ti a força que destroe lentamente, traduz a saudade que ainda doe, mais que de certa forma, já gera encanto...
Olha, tua força cresce onde nem tu mesma consegue chegar, teu impossível gera opções contrárias e somente você escolhe teu bem. Assim o faz, Pequena dos sonhos gigantes, que já será o caminho do teu novo amor, acompanhado apenas das lembranças que em verdade, já te fazem grande...

Miquelinne Araujo

4 comentários:

Marcelo Silva disse...

As Luas mudanas... as fases que dão maturidades... movimento....

Miquelinne Araujo disse...

As fases que renovam...Passos...Momentos, e a dor do amor nem doe, ela já gera certo encanto!

Sandrio cândido. disse...

Que canção linda está no fundo, parece acompanhar os meus olhos debruçados sobre o teu escrito

beijos

Miquelinne Araujo disse...

Se és da alma a companheira, sem ela não posso existir: A música que dá vida a vida!
Beijos Querido