segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Castelos de Ilusão

Mas... e se a realidade não passa de mera ilusão?


"O período da falta não corresponde mais a certeza do prelúdio, os pensamentos se chocam com as veracidades do olho fugitivo e as esperanças alçam voo perante a sensatez: Chegada de novo dia!
Envolvidos na caridade de amar por vezes, esquecendo até mesmo da fina capa que encobre os adjetivos, deram-se sequências de dores, derramou-se líquido vindo da alma e por hora, restou apenas certa a busca por novas direções. Os trilhos mediatos não servem como medida, são variáveis e metamórficos, crédulos em sonhos, mortais em corpo.Mortalhas dispersar que sugerem respiração aguçada e penetrante, corpos sem vida de almas perdidas, entristecidos pela sombra do sol, aquecidos pelo frio vago e contínuo do luar. Opções, desfechos, fim do primeiro ato: Apoderou-se então do relógio o tempo, aprisionaram-se a doçura, o enternecer e do intervalo, volta a prudência em escolher por dois, pois se existem escolhas, não existem amores! Questões nuas, cruas e passadas, decidi por não mas sofrer pelo o que é substituível, que dure o necessário a se fazer lembrança, aconchegue bastante a ponto de causar saudades, sufoque o desvalido sentir da perca e liberte pois, o fim depois da volta. Optando por três saídas, abre-se apenas a desconfiança de por onde melhor atravessar, a vida já não é fácil, pra que complicar?"

Miquelinne Araujo

2 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Lembrou-me a canção linda rosa da maria gadu... Line uma dica está escuro o bog e clara a letra, então teus leitores não podem eenxergar, tive que selecionar para ler, melhor mudar a letra la em design...
beijos amiga
sandrio

Miquelinne Araujo disse...

Beijso Querido,
vlw pela DICA!