segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Velhas Lembranças


Eu te amo...
Tu me amas?
Eles ainda se amarão!

Nos engasgos e soluços, pouco pode ou nada, talvez tudo...Pois foi cedo, e nunca tarde.
Senti sim, as vezes que demorou-se a partida, doeu e ainda doi.
Preferencie por esquecer aquele monstro tenebroso e também necessário, que fez da solidão um refúgio do qual nunca quiz estar. E se foram meses, foram-se certezas, e ainda vão com elas lágrimas, seladas e envelopadas, capazes de curar e fazer lembrar o que nunca esqueci. Não sei se é, se já foi, ou se ainda será, apenas levo a coragem de arriscar entre penhascos a sorte  de escolher por voar... Odeio conjungações em pretéritos imperfeitos! Mostrando-os apenas metade de um todo incompleto, metaforicamente
 surpresa e por dentro, casa oca e opaca, eco transmitido de uma  verdade aguda que  cala. 
Quanto tempo depois da primavera o vento ainda espera para relevar ao lugar as folhas que o outono recusou... Tempo precioso e gasto com outroras desfrutadas de maneira singela, e o sorriso que não mais acalma! Não aceito mais fins em minha vida, recuso a embalagens (gosto de conteúdo), busco sorrisos sinceros em pessoas "falsas", procuro por amor nos "sem corações", transmito paz na minha dor e me renovo a cada renúncia, me prosto de poesia  e sangro amores que já foram e decidiram por voar.
Tardes quentes embalam as lembranças que guardei, o gosto de beijo ainda permanece apesar das decepções e o abraço prometido se tornou promessa desgastada, que desmereceu a realidade enfática que sobrou. Os efeitos que construi, são suficientes para colorir uma vida sem cor, pintei arco-íris  e baixei o véu da inocência: Agora sou eu quem comando o que vem e o que vai, e o que a vida recusa, eu arranco dela...

P.S: Por que nunca se vai verdadeiramente ao fim, onde o profundo do futuro presenteia o passado com as recordações do que se passa...Por que recomeçar sem mágoas é a chave para a felicidade!

Miquelinne Araujo

2 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Gostei do novo visual Line e o nome então um convite a leitura do meu ser, que sonha com os pés no chão...
beijos amiga

Miquelinne Araujo disse...

Que bom que aprovou minhas "mudanças"... Beijos Querido!
"Por que se foi cedo, e nunca tarde...Por que és tão necessário quanto o ar, que mesmo invisível, é fonte de vida!"