sexta-feira, 15 de abril de 2011

Entrelaces

E ainda dirá que é impossível ?

No mar, uma lua que resplandece a ilusão infinita do mal que faz bem.
Inconsciente da loucura profunda, escrevo o que me resta, e vivo do que invento...Por que um dia se cansa de mendigar atenção!
Uma poesia serena, desencanto profanado...Sonho realizado.
Nada mais de ternura, carinho e amor...Ah! Amor?
Um circulo espantoso entre passado, presente e o temido futuro: Uma vida...Último sopro de esperança.
Nada mais ridículo que negar a alma tamanha ilusão, por que de nada viveríamos se não alimentássemos desse sabor amargo que tem a paixão.
Inconstante, invariável... Intacto!
Encanto certo....Desencanto opcional!
Dúvidas meramente humanas, eternamente existentes....Amor passado, amizade futura!
Cansada de tanto andar, chego em vão ao talvez "fim", mas será que realmente se faz valer? 
Apenas mendigo pela última vez o beijo encantado de contos de fadas, que prometias ser pra sempre e acabou! Por que tenho a luz das estrelas na palma da mão, o brilho do amanhecer no coração e uma expressão frágil de quando tudo acaba: A minha última lágrima!

(Por:Miquelinne Araujo)

2 comentários:

Welligton Magalhães disse...

"...Nada viveríamos se não alimentássemos desse sabor amargo que tem a paixão...Encanto certo....Desencanto opcional", Gostei garota! e ainda tem direito a citação de "Roupa nova", Parabéns! Agora entendo por o Marcelo é viciado nesse Blog kkk, http://boranegrada.blogspot.com/

Miquelinne... disse...

Obrigado! Mais que uma honra receber um comentário seu...Bem vindo ao meu mundinho particular de Loucuras! AH...E a citação, Roupa Nova é ensinamento( simplesmente aprendendo com as letras dele)!

'-'