quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Feridas...


Cicatrizes marcam o que nunca se permite esquecer...Não se sabe ao certo,mas a principio, só resta cor!
Transmutam-se sorrisos e outrora, já caem em lágrimas.
Não se finda o certo, assim como nada se busca além de poesia.

Vendo em completo o que me resta, e se dele sobrarem pedaços...Os doo gratuitamente ao fascínio de escrever.
Dores que não descansam, desarmam meu peito e moram em outros horizontes.
Buscando entre nós um laço definitivo para não mais chorar.

E assim como a noite, os reflexos passam...São tão possessos, que me encontram e perdem, com a mesma facilidade entre entrar e sair.

Pessoas nada mais sugerem...E a distância me tranquiliza(Pouco tempo, muita falta e me sobram as certezas)!

Miquelinne Araujo

4 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Line, hoje te peço apenas que aceite o meu silêncio que machuca a meu ser, mas é só o que posso lhe oferecer hoje
um beijo enorme.

Miquelinne Araujo disse...

Beijo Querido...Isto já basta-me!

tatiara disse...

Keline a cada poema lido só te adimiro mais ainda!!!Parabéns nega!!!

Miquelinne Araujo disse...

Obrigado Neguinha...Adoro tu!