segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Domínio

O que nem sempre é fácil...

Deparo-me com a ausência de lágrimas...
Já vi várias vezes a face da morte, e foram nos dias em que meu coração se sentiu incapaz de amar.
Os medos ainda me perseguem, mas tornei-me capaz de assustá-los, uso como espelho minhas palavras e nelas, os medos se refletem, perdem força e se vão!
Amei a ponto de desacreditar que era amor, mais amei...Ainda amo.
Perdi pedaços, fatiei sentimentos, esmoreci a dor, calei minha voz e acho que sintonizei minha alma com o destino que decidi trilhar.
Desperdicei sonhos em ilusões que nunca seriam nada a não ser pesadelos.
Devolvi paixões, e assim, também chorei.
As lágrimas que nem sempre eram de alegria, mas pareciam desaguar dos olhos...
Já me separei do que me unia, escrevi o que não sentia,
justifiquei certezas em dúvidas passadas a limpo...
Me tornei humana demais a ponto de esquecer da minha humanidade e buscar santidade no amor...
Domino o que amedronta, e baixo guarda aos comandos de quem me alimenta e mata em segundos traiçoeiros que se tornam eternidades.
Ainda tenho muito a descobrir, mas não consigo enxergar a vida de mesmo modo, não consigo aceitar mais interrogações .
Crescer é desafiar a si próprio em busca de si e meu maior medo, é não querer ser quem for descoberto.
Seria injustiça tantos rodeios em volta de mim mesma...E assim, já seria metade de um todo!

(Miquelinne Araujo)

6 comentários:

Antes do Outono disse...

muito bom, palavras de quem sabe escrever usando da mais bela arma, o sentimento..

Miquelinne Araujo disse...

E eu teria outra arma para usar nessa guerra?
Os sentimentos que nos enfraquecem, também são aqueles que nos tornam fortes!
Bjos Querido, muito feliz por voltar a tê-lo aqui em meu cantinho!

Antes do Outono disse...

sempre que posso dou uma bilada nos seus textos..rs...vc escreve muito bem..e dificilmente encontramos pessoas como vc..queria que minha vida fosse rodeada de pessoas como vc..que fazem desse mundo triste ter ainda saída pra alegria..bjs..

Miquelinne Araujo disse...

Gracias por tudo...mais eu faço parte do nosso mundo e nele, sempre há espaço pra nós, que fazemos da tristeza uma poesia! Bjoss

Sandrio cândido. disse...

Há outras armas, mas todas encaminham ao sentimento que depois transmuta em belos pensamentos, sofridos sim, como este em que a line reconhece que "Crescer é desafiar a si próprio em busca de si". Vou além e me pergunto:O que seria do ser humano sem este desafio, se por certo que viveria, mas uma existência vazia condenada ao fracasso e isto não é nada bom. Por vezes eu disse que a dor me moldou e sei que foi a experiência mais bela que tive line e a que mais me ensinou hoje a ser este ser que sou-entre erros e acertos existo-. É destino, talvez mais você querida está mesmo a procura da essência da vida e vais passar por momentos tristes, mas é neles que você descobrirá que não há fim ou inicio há apenas o caminho, tão bom poder caminhar, viver e ser o que somos. beijos minha querida, bom te ler e sentir em você esta força nascer da fragilidade humana, desculpe o tamanho do comentário
De seu
Sandrio Cândido

Miquelinne Araujo disse...

Meu Querido, Bom Ver o tamanho de seu carinho...Nesse caminho, sou moldada pelos caminhos que decido desafiar e desafio a mim mesma em busca de quem sabe uma "line" bem melhor. Nessa busca por mais vida, sinto a fragilidade e sei que é ela minha força...Adoro desafios,e tenho certeza que vai valer a pena quando minha essência exalar e eu finalmente ter certeza de mim mesma(E espero que vc esteja lá).
Obrigado por tudo...Até longe se faz presente! Bjos, bjos Infinitos