quarta-feira, 15 de junho de 2011

Nova Estação


E existem coisas que tem fim!
Pudera ser mais do que sou...Seria completa.
Lutar não me anima onde nem existem batalhas.
Acho que cansei de chorar, de sonhar.
Tudo o que eu queria era voltar no tempo, e viver novamente o "tempo" em que meu único medo era estar só, por que hoje a solidão me transparece segurança, companhia. 
E você não me pediu pra ficar...
As folhas que caem, um sol que não me aquece, e eu tenho medo desse silêncio que me apavora e não me deixa dormir.
O tempo não curaria a dor, mas vai reorganizar os amores, vai me fazer esquecer.
Domestiquei meus sentimentos, e  não  quero mais voltar.
A felicidade não me sugere alegria, e sim segredo, onde sou tão "tola". 
Os contos de fadas definitivamente, não são pra mim! Os castelos nem precisam mais de princesas, eles estão inertes no vácuo deixado pelo frio que a noite passada  me trouxe.
Não queria mais sentir borboletas em meu estômago todas as vezes que eu penso, lembro ou imagino.
Não quero mais me encerrar em um círculo fechado, onde a saída é ceder ou amar.
Nunca mais quero entregar-me a distância e soltar beijos ao vento para que eles encontrem o destinatário.
Admito que não será fácil... Mas se está feliz, um dia conseguirei entender por que amor insiste em morar em apenas um coração.
Cansada de andar, paro e observo o caminho que deixei pra trás...Nunca tinha parado antes.
Assusto-me ao ver sempre meu castelo destruído, e eu não quero mais Finais Infelizes.
Eu quero encontrar verdade nos olhos de quem eu reflito.
Queria sentir novamente a doce ilusão de apenas estar perto.
Estimo que o tempo me convença que como outras fases, esta também vai passar e por enquanto...
Apenas espero a chegada dessa nova estação".

(Por: Miquelinne Araujo)

2 comentários:

Marcelo Silva - Aprendiz disse...

Estações necessárias... trazem flores perfumadas e espinhosas...
Ilusões das presenças mal notadas ou da ausencia que nos mata... Estações... fases e em cada uma dessas aprendemos precisamos aprender alguma coisa....
Abraços.....

Miquelinne... disse...

Espero aprender a esquecer, Meu querido Poeta!

Que estas estações me ensinem a aprender o necessário a minha existência!